Distribuidora de produtos químicos

Setor químico recua aos níveis de 2007 com covid-19

Setor químico recua aos níveis de 2007 com covid-19

Setor químico recua aos níveis de 2007 com covid-19

28/05/2020

Por Stella Fontes - em O Valor Econômico


A indústria química brasileira sentiu fortemente o efeito negativo da covid-19 na demanda doméstica em abril e esse ambiente aparentemente se manteve em maio, sem deterioração adicional, de acordo com a Associação Brasileira da Indústria Química (Abiquim). “A situação de produção e vendas internas em abril voltou aos níveis de 13 anos atrás”, disse ao Valor a diretora de Economia e Estatística da entidade, Fátima Giovanna Coviello Ferreira.

Segundo o relatório de acompanhamento conjuntural da Abiquim, no mês passado, as vendas internas de químicos de uso industrial recuaram 35,7% ante março e 36,4% na comparação anual. A produção caiu em ritmo menor, já que as operações industriais não podem ser desativadas abruptamente, e cedeu 19,4% frente a março e 13,5% em relação ao mesmo mês do

Por outro lado, a demanda interna (medida pela soma das importações e da produção menos as exportações) saltou 24,3% em abril, na comparação anual, embora tenha ficado 9,4% abaixo do verificado em março, impulsionada pelas compras externas de produtos químicos. Em volume, houve alta de 77% em abril, na comparação anual. Conforme a diretora da Abiquim, o excedente de produção no mercado internacional - uma vez que houve desaquecimento generalizado do consumo por causa da pandemia - e a queda dos preços internacionais, na esteira da desvalorização do petróleo, explicam o forte desempenho das importações. Em 12 meses, a fatia dos químicos importados no consumo aparente brasileiro chegou a 45%, a mais alta da história.

“Apesar da desvalorização do real, esses dois fatores podem ter estimulado o aumento em volume”, explicou. Além disso, a maior demanda por produtos relacionados ao combate da covid-19 contribuiu para o aumento das compras externas. No acumulado de janeiro a abril, enquanto as importações cresceram 25,6%, a demanda interna avançou 8,7%.

A Abiquim conduziu uma pesquisa qualitativa com empresas do setor que mostra que, para boa parte da indústria, as condições de mercado vistas em abril se mantiveram em maio. Neste momento, apenas um terço das empresas tem unidades paradas e o mesmo número buscou recursos no mercado financeiro. Entre as que adotaram a iniciativa, 70% tiveram acesso.


Sobre ADDITIVA

A ADDITIVA é uma empresa distribuidora de produtos químicos que atua em diversos segmentos industriais. Nosso portfólio é composto de produtos fabricados pelas principais empresas químicas do mundo, o que nos permite garantir qualidade e contribuir com o sucesso dos nossos clientes em quase todos os setores e estados do Brasil.  Além do segmento de químicos, nossa unidade de impressão 3D, a ADDITIVA 3D Printing Technologies, oferece um dos mais amplos portfólios de materiais de alta performance na área de manufatura aditiva. Para mais informações acesse: www.additiva.com.br / www.additiva3d.com.br.

Clique para Ligar
Fale por WhatsApp